• Fernanda Garcia

Presente amargo: Pacote de cargos comissionados é aprovado às vésperas do natal

Apenas Fernanda Garcia e mais cinco vereadores votaram contra



Mais uma vez a população de Sorocaba recebe um duro golpe. Durante a sessão extraordinária desta terça-feira (21), o Projeto de Lei 490/2021 - enviado de forma emergencial com apenas um dia de antecedência -, foi aprovado com 14 votos da base governista. Com isso, a prefeitura criou 191 cargos de confiança, custando a bagatela de 13 milhões aos cofres públicos anualmente.

“Fica parecendo a mim e, provavelmente, à população que as extraordinárias anteriores foram testes para este que estava por vir. Este projeto foi enviado pelo Executivo para apreciação poucas horas antes da votação. Não deram à população e seus representantes eleitos, a oportunidade de discutirem as 122 páginas do projeto. Essa articulação formada entre Manga e seus amigos legisladores só aumentar a revolta popular contra os poderes”, disse a vereadora Fernanda Garcia (PSOL), no início da discussão do projeto.


Além da criação de cargos, Fernanda lembra que a problemática principal deste projeto está em dois núcleos: o valor a ser retirado dos cofres públicos e a acomodação destes aliados políticos às vésperas da eleição de 2022. “O projeto, de acordo com o governo, é para contribuir com o serviço público. Entretanto, o que falta nesta cidade são médicos, professores, GCMs, e outros profissionais contratados via concurso, mas para isso parece não haver verba. Para o favorecimento de aliados em troca de apoio político há! Curioso, porque até agora minha pergunta não foi respondida: ‘o que fará um diretor de área em uma unidade básica de saúde?’”, rebateu a vereadora do PSOL.


A vereadora Fernanda também demonstra preocupação com a independência dos poderes. “Muito me entristece ver que a democracia é ferida de forma tão vil nesta cidade. Infelizmente, a maioria dos vereadores mostra que estão na mão do prefeito, e não junto do povo. Lamentável que o Poder Legislativo seja apenas uma casa de despacho do sexto andar”, criticou a mesma.


“Os rumo político que Sorocaba vem tomando muito me preocupa, já que a gestão marqueteira pensa somente no seu próprio favorecimento. Quando era vereador, Manga era aliado do Crespo, que tentou por mais de uma oportunidade criar cargos políticos. Agora, como prefeito, ele repete o mesmo modo de governar", disse Fernanda.


Votaram contra o projeto, as vereadoras Fernanda Garcia (PSOL) e Iara Bernardi (PT), além dos vereadores Francisco França (PT), Péricles Régis (MDB), Ítalo Moreira (PSC) e Hélio Brasileiro (PSDB).


Os favoráveis à criação dos cargos foram Cícero João (PTB), Claudio Sorocaba (PL), Dylan Dantas (PSC), Fausto Peres (Podemos), Fernando Dini (MDB), João Donizeti (PSDB), Rodrigo do Treviso (PSL), Salatiel Hergesel (PDT), Vinícius Aith (PRTB), além da bancada do Republicanos, Cristiano Passos, Fabio Simoa, Luís Santos, Silvano Jr. e Vitão do Cachorrão.




205 visualizações0 comentário