• Fernanda Garcia

Lei da Fernanda: março é mês oficial de luta das mulheres em Sorocaba!


Foto: Ana Erica | www.anaerica.com.br/

Em Sorocaba o “Mês da Luta Internacional das Mulheres”, é celebrado anualmente em março, instituído pela Lei nº 11.715, de autoria da vereadora Fernanda Garcia (PSOL).


Essa iniciativa é importante para que o município desenvolva debates, reflexões e também ações práticas para combater a desigualdade de gênero, que fazem com que as mulheres ganhem salários menores, ocupem menos cargos de chefia, sejam pouco representadas nos espaços de poder e sejam as maiores vítimas de violência de todas as naturezas.


“Em casa, no trabalho, na rua, na universidade, na escola, no transporte público, na mídia e mesmo nas instituições; em todos os espaços e a todo momento existem mulheres sendo assediadas e agredidas verbal e fisicamente”, ressalta Fernanda.


Por que março?


As jornadas de trabalho de 15 horas diárias, os baixos salários e a discriminação de gênero eram alguns dos pontos que fizeram as mulheres irem à luta a partir do final do século XIX, principalmente na Europa e nos Estados Unidos.


De acordo com registros históricos, o primeiro Dia da Mulher foi celebrado nos Estados Unidos em maio de 1908, onde mais de 1.500 mulheres se uniram em prol da igualdade política e econômica no país.


Vários acontecimentos levaram à criação de um dia especial para as mulheres. Um deles foi o incêndio numa fábrica de camisas em Nova York, ocorrido em 25 de março de 1911, que matou 146 pessoas, dentre as quais 129 mulheres.


No entanto, o 8 de março só teve origem com as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho, durante a Primeira Guerra Mundial (1917). A manifestação, que contou com mais de 90 mil russas, ficou conhecida como “Pão e Paz”, sendo este o marco oficial para a escolha do Dia Internacional da Mulher no 8 de março, data que somente foi oficializada em 1921.


Naquele ambiente pré-revolucionário, de muita luta dos movimentos operários, a organização das mulheres tecelãs conclamou a solidariedade de outras categorias de trabalhadores, ocasionando um evento decisivo para o avanço da Revolução Bolchevique.


Por muito tempo, a data foi esquecida e acabou sendo recuperada somente com o movimento feminista nos anos 60. A Organização das Nações Unidas, por exemplo, somente reconheceu o Dia Internacional da Mulher em 1977.


Atualmente, além do caráter festivo e comemorativo, o Dia Internacional da Mulher serve como conscientização para evitar as desigualdades de gênero em todas as sociedades.


2 visualizações0 comentário