• Fernanda Garcia

Fernanda Garcia protocola projeto 'Escola sem Censura'

Com assinatura conjunta de outros três vereadores, o projeto institui uma medida de proteção à liberdade de cátedra


Após as inúmeras tentativas de perseguição e censura aos professores sorocabanos, a vereadora Fernanda Garcia (PSOL) protocolou na tarde de ontem, dia 28, um projeto de lei onde institui em Sorocaba o programa "Escola sem Censura" com o objetivo de proteger o direito integral à educação em todos os seus aspectos, principalmente na formação social.


O documento protocolado nesta tarde foi coassinado pela vereadora Iara Bernardi (PT), Francisco França (PT) e Salatiel Hergesel (PDT). A iniciativa é inspirada em projetos de outros municípios, onde a censura do programa "Escola sem Partido" foi combatida, como Campinas. "Com a ascensão destes que estão no poder, infelizmente deu-se como regra os ataques à educação em sua base, naqueles que fazem as engrenagens do sistema educacional funcionarem, que são os professores", disse Fernanda.


A vereadora também explica que a escrita deste projeto vem como uma forma de proteger o trabalho dos servidores da educação como um todo já que de acordo com a mesma esta lei já foi discutida anteriormente em Sorocaba, mas rejeitada por se tratar de uma matéria inconstitucional. "Esse ódio aos professores é irracional. A justificativa que eles apresentam para apresentar o projeto de censura, não corresponde com a realidade das escolas. O grande intuito por trás dessas ações é perseguir, intimidar e assediar os professores. Eles temem que a educação seja um instrumento de formação de consciência crítica, que seja libertadora", comentou a parlamentar.


Somada a necessidade de se proteger a liberdade de cátedra que vem sendo ceifada diariamente, o "Escola Sem Censura", de acordo com a autora da lei, é uma forma de abrir os olhos da sociedade para os reais problemas da educação. "Não é uma criança aprender sociologia que é o problema, o que vem afetando a qualidade na aprendizagem hoje é a falta de estrutura básica para que uma escola funcione. Um teto que não tenha goteira, uma sala que não esteja superlotada, uma escola que não falte funcionários, isso sim são problemas enfrentados no ensino público", manifestou Fernanda em plenário antes da protocolização do projeto.


Por fim, a vereadora juntamente com seus pares fazem uma crítica à pressa para se aprovar um projeto que além de não agregar ao cotidiano dos estudantes, ainda censura a liberdade de ensino. "Tantos problemas que passam a educação não só em Sorocaba, mas em todo país, mas ao invés disso os vereadores que falam tanto em 'liberdade de expressão' estão preocupados em privar o livre pensamento dos alunos; chega a parecer uma cortina de fumaça, pois trazem um assunto 'do túmulo' enquanto há contratos suspeitos sendo assinados em baixo do nariz dos cidadãos, como o kit de robótica caríssimo, os uniformes ainda não entregues em sua totalidade mesmo que estejamos próximos ao segundo semestre e brinquedos de plástico com valores exorbitantes, isso sim é um problema na educação", finaliza Fernanda Garcia.




18 visualizações0 comentário